Viver em Portugal: descomplicando a descrição e a classificação dos imóveis

Viver em Portugal: descomplicando a descrição e a classificação dos imóveis

Arrendar ou comprar uma casa em Portugal pode ser mais complicado do que parece. A descrição e a classificação dos imóveis por aqui confunde um pouco os estrangeiros.

Em Portugal, é comum que o imóvel seja descrito através da sua tipologia (t1, t2, t3, etc) ou pelo número de divisões internas (2 assoalhadas, 3 assoalhadas, 4 assoalhadas, etc).

Basicamente, a letra “T” designa a Tipologia do imóvel e o dígito especifica o número de quartos que esta habitação tem. Assim, um apartamento t1 é um apartamento com um quarto (ou, como falamos no Brasil, quarto e sala); um apartamento t2 é um apartamento com dois quartos; um apartamento t0 é um apartamento sem quarto (também chamado de estúdio, é aquele apartamento que não há divisão entre o quarto e a sala).

Assoalhada, por sua vez, é um compartimento de uma casa, exceto despensas, banheiros, cozinha ou hall de entrada. Portanto, o número de assoalhadas varia conforme a quantidade de compartimentos da casa.

Por último, na designação do andar do apartamento é comum encontrar as expressões “cave”, “rés do chão” ou mesmo “águas furtadas”. Mas, o que elas significam?

Rés do chão é o apartamento ao nível do solo ou da rua, ou seja, é apartamento térreo. A Cave, por sua vez, está localizada em nível inferior ao nível do solo ou da rua. As águas furtadas correspondem ao último andar habitável de um prédio e é também conhecido como sótão. Os telhados típicos acabam por moldar a altura destes apartamentos, sendo normalmente pouco apetecíveis para a maioria das pessoas.

Espero ter ajudado!

 

*Quer morar em Portugal?

Consulte-nos por e-mail e saiba como.

📩 geral@portugalcomgraca.com

Voltar ao Topo